tarte com tiramissu de curd de limão e framboesas frescas

Esta foi uma parceria a quatro mãos com a OneCakeOut...na verdade o Cake ficou dentro de portas e para consumo interno :)

Juntou-se uma base de tarte clássica, lemon curd, framboesas e o italiano queijo mascarpone e pirlipipim surgiu a foto

Para esta receita foi feita uma base de tarte com:
.  manteiga 125gr  . açúcar 125gr  . 3 ovos  . farinha 125gr  . 1 colher de chá de fermento

Bater a manteiga com o açúcar  juntar os ovos inteiros um de cada vez e por ultimo a farinha com o fermento incorporado.
Verter numa forma de tarte e levar a cozer a forno pré-aquecido a 180º, o tempo varia por isso testar com palito até a massa estar pronta.
Deixar arrefecer bem e depois usar como base de suporte para a cobertura.

Para o creme de Tiramissu de limão;
. Lemon Curd q.b. (ver receita aqui*. Queijo mascarpone  250 gr  . 1,5 dl de nata batida  . 6 colheres de sopa de aguardente velha  ou rum  . raspa da casca de um limão . 4 colheres de sopa de açúcar amarelo

Misturar o queijo creme com o lemon curd na quantidade que se desejar, juntamente com a raspa da casca de limão e o açúcar amarelo,  de seguida envolver a nata batida e por ultimo a aguardente, levar ao frio antes de barrar a tarte

Na montagem foi acrescentado mais lemon curd e framboesas frescas, de modo a criar as camadas que começa na base da tarte, de seguida o creme de 'tiramissu' de limão, terceira camada de lemon curd  puro e por último as framboesas.

E foi assim noutra cozinha com muita alma e gosto :))

by me. with onecakeout 245 015

arnold palmer

De uma praia para esta cozinha e como o nosso verão não tardará por aí, espero, fica a sugestão vinda de terras longínquas deste velho continente.

 Arnol Palmer;
. sumo de lima  . chá preto .água com gás q.b.  . folhas de hortelã a gosto  . açúcar amarelo a gosto  . rodela de lima para decorar . muito gelo

É só misturar nas quantidades desejadas equilibrando a acidez da lima com mais chá e adoçar com um pouco de açúcar deitar por último um pouco de água com gás

fácil e muito agradável, quando a hora do dia ainda não pede bebidas mais fortes...como foi o caso ;)
tchimm tchimm
by me. 195469

traços de limão

Podiam chamar-se 'eSses' ou 'oÓs' fosse o desenho que lhes desses com um simples saco de pasteleiro, mas como não existe nesta cozinha, eu sei estou a precisar de um... usei um vulgar saco de plástico cortado na ponta,  com a massa mais espessa como é esta não ajuda muito a criar formas, por isso mantive traços de limão em vez de qualquer outra forma à que simplificar.

Para este pequenos e crocantes biscoito, deu cerca de 3 tabuleiros de forno;
. 2 ovos  . 250gr de açúcar  . 250gr de farinha  . 1 colher de café de fermento em pó . raspa de 1 limão grande 

Batem-se os ovos inteiros com o açúcar (usei 1/2 amarelo 1/2 branco) e a raspa de limão, até obter um creme fofo e claro.
Acrescenta-se a farinha com o fermento adicionado, mistura-se bem.

Unta-se com manteiga e polvilha-se com farinha uma folha de papel vegetal para cada fornada de biscoitos.

Dispõe-se a massa com a forma desejada, como disse usei traços por me facilitar a vida e deixam-se bem separados já que crescem o triplo sensivelmente, estes tinham cerca de 4 cm de comprimento com 1,5 de espessura, só para terem uma ideia, são pequenos biscoitos para chá por exemplo.

Colocar num forno pré aquecido a 175º e deixar cozer no meio do forno até estarem dourados cerca de 15 a 20 minutos dependendo do tamanho dos biscoitos.
Repetir o processo até acabar a massa.
Deixar arrefecer um pouco antes de os despegar do papel.

Fácil, fácil, um pedido cá de casa para fazer bolachas...deu nisto ;))
by me. 192 735

pão-de-ló de Alfeizerão ou não!

  Atenção, esta foto foi retirada algures da net,
porque me esqueci ou nem tive tempo para isso mas é bem representativa do resultado final.

A Páscoa tem ovos... ás vezes muiiiiittttooos.

Por isso revisitei um clássico que se faz cá por casa este pão-de-ló de ouro.

A receita que uso é a da Maria de Lurdes Modesto da Cozinha Tradicional Portuguesa no capítulo dedicado à Estremadura.

A receita diz;
. 100gr de açúcar  . 6 gemas + 2 ovos inteiros  . 50gr de farinha bem peneirada

Batem-se os ovos inteiros com o açúcar e quando a mistura estiver bem esbranquiçada juntam-se pouco a pouco as gemas desfeitas, continua-se a bater tudo muito bem cerca de 10 minutos mais com a batedeira .
Sem bater envolve-se cuidadosamente e aos poucos colheres da farinha em chuva, de modo a não perder o ar da massa.

Deita-se o preparado numa forma forrada a papel grosso tipo manteiga ou vegetal untado e tapa-se com uma folha.
Leva-se a cozer em forno bem quente 225º durante 10 minutos.
Retira-se do forno desenforma-se para que não coza mais.

E diz a autora da receita, "come-se no dia seguinte" eu gostava de ver isso aqui em casa :))) é quase na hora e ainda morno!
Este não veio de Alfeizerão, mas faz sempre um figurão!

Espero que tenham tido uma boa e doce Páscoa.
by me. and from maria de lurdes modesto/coz trad port/estremadura pág 220 190 349

bolo mousse de chocolate negro

Nada contra o chocolate e continua o eleito de sempre cá por casa!
Parece-me que não somos únicos há muitos seguidores deste mimo que a natureza nos deu e que alguém se lembrou de transformar, ainda bem ;)))

Depois de me tentarem imagens de alguns destes bolos que são feitos com uma base mousse de chocolate à qual se acrescenta um pouco de farinha lá tentei criar a minha versão, ficou um pouco mais cozida do que devia, mas isso é uma questão de estar mais atenta ao tempo no forno enquanto coze.

Para este bolo de chocolate e mousse, usei;
. 300 gr de chocolate = 200gr  70% + 100gr  52%  . 200gr de manteiga sem sal  . 160gr de açúcar amarelo + 2 colheres de sopa de açúcar branco  . 1 folha de gelatina  . 60gr de créme fraiche (ou nata espessa)  . 8 ovos  . 40gr de farinha com fermento

Em banho-maria derrete-se o chocolate e a manteiga.

Separam-se as gemas das claras.
Batem-se as gemas com o açúcar amarelo até obter um creme homogéneo e claro acrescenta-se o crème fraiche.
Eu optei por fazer um sabayon, porque não gosto do sabor da gema crua nas mousses, ou seja coloco o creme das gemadas a cozer em banho-maria até ficar espesso ou a uma temperatura, se me der para ser mais rigorosa de 80º, e este deve ser mexido com frequência para não talhar.

Demolhar a folha de gelatina em água bem fria.

Noutra taça bater as claras em castelo bem firme com as 2 colheres de açúcar branco.

Juntar ao creme das gemas  o chocolate me fio envolver bem.

Separar o creme de chocolate em 2 metades e o mesmo com as claras em castelo, 2 metades.
Numa das metades do chocolate acrescenta-se a farinha e envolve-se uma das metades das claras em castelo.
Forra-se uma forma com papel vegetal e leva-se a cozer ao forno a 180º durante 12-15 minutos, o bolo deve ficar mal cozido.

Ao restante creme de chocolate separado, acrescenta-se a folha de gelatina já demolha e escorrida, processo este que deve ser feito enquanto o chocolate ainda estiver quente.
Por último envolve-se as restantes claras em castelo e leva-se ao frio.

Depois do bolo cozido e bem frio colocar a mousse de chocolate por cima e levar ao frio.

"Eu coloquei um crocante de chocolate em pó que costumo fazer por cima e que não é mais do que 1 colher de chá de manteiga  1 colher de sopa de açúcar e levar ao lume ditar 2 colheres de sopa ou mais de chocolate em pó, de modo a secar a manteiga. Deixar cristalizar em pequenos pedaços mexendo sempre fazendo aquilo a que eu chamo areia de chocolate crocante."

Podem acabar com chocolate em pó apenas,  chocolate ralado por cima ou pepitas...o que vos apetecer!
Aqui fica mais uma bomba de chocolate ;))
by.me. 186035

gelado cremoso de banana

 Outra vez bananas demasiado maduras...

Desta vez,  fiz um gelado. Como? 
Como vi decidi adaptar porque é mesmo assim, a cozinha é a mão e gosto de cada um.
Muito fácil primeiro e apesar das cascas estarem já em modo castanho e ninguém pegar para comer são estas bananas demasiado maduras as ideais para fazer um gelado caseiro.

A 1º etapa é descascar e cortar em rodelas as bananas e deixar congelar bem.

Para fazer creme gelado de banana:
. 500gr de banana cortada e congelada  . 2 colheres de sopa de sumo de limão  . 2 claras de ovo  . 2 colheres de açúcar amarelo  . leite condensado cozido 100gr + 2 colheres para acrescentar no fim

No liquidificador misturar a banana congelada com o sumo de limão e o açúcar, pulsar e enquanto tritura acrescentar as claras deixar envolver bem.
Por último e isto numa questão de minuto, juntar o leite condensado cozido ou outro.
(a receita original usa natas e mais açúcar outra opção eu troquei pelo leite condensado)
Acrescentei no fim um pouco mais de leite condensado mal misturado só para lhe dar um look diferente e ao comer o gelado encontrar estes pequenos requintes doces!
Servir de imediato ou deixar no congelador...

Como a maldade era pequena, servi com morangos frescos e migalhas de bolacha de baunilha!

Et voilá, à trés gran vitesse...prêt a manger!

by me.  183 638

panna cotta de iogurte com caramelo e bolacha

Decidi fazer por tentativa uma panna cotta sem nata...
A fotografia é prova do resultado quanto ao sabor aprovado, já que aqui por casa ninguém fez questão de deixar para outro dia comê-las ;))
 

Para esta panna cotta de iogurte usei;
. 125 ml de iogurte líquido adoçado . 125 ml de iogurte grego adoçado .2dl de leite . 2 colheres de sopa de leite condensado (pode ser cozido)   . 2 colheres de sopa de açúcar amarelo  . 2 folhas de gelatina

(eu usei dois tipos de iogurte porque era as embalagens familiares que tinha e estava a ficar perto do fim do prazo de validade, mas podia ser usado apenas o iogurte sólido grego


para o creme tofffe;
. 1 iogurte grego  125ml  . leite condensado cozido cerca de 2 colheres de sopa ou mais a gosto . bolachas esmigalhadas a gosto  . caramelo líquido a gosto

Começa-se por demolhar as folhas de gelatina em água bem fria.

Num tacho coloquei ao lume o leite, o iogurte o açúcar amarelo e o leite condensado deixei levantar uma pequena fervura, retirei do lume e adicionei as folhas de gelatina bem  escorridas.
De seguida verter nas taças ou mesmo em formas de silicone que existem para a panna cottta, que eu não tenho mas colocado em taças funciona muito bem depois é colocar no frio enquanto se prepara a camada de creme e bolacha.

Para a camada doce, misturar um iogurte grego com o leite condensado cozido até obter o creme desejado equilibrando a quantidade de doce que se quer, é um pouco ao gosto de cada um se estiver demasiado grosso acrescentar um pouco de leite.

Deitar uma pequena camada deste creme sobre a base do leite que já deve estar um pouco solidificada para que não se misturem.
 

Na hora de servir partir as bolachas escolhidas, eu usei as minhas bolachas holandesas com recheio de caramelo, colocar dentro das taças a gosto com um pouco de caramelo líquido.

E assim acabei os iogurtes antes de deixar acabar o prazo de validade e transformei-os em outra coisa. 
Segui a lei de Lavoisier, "aqui nada se perde, tudo se transforma" 
Que se aplica muito bem na minha cozinha!

by me. 182 757

profiteroles

Depois da massa pronta... soldados alinhados viram profiteroles!

Para isso basta arranjar um recheio e cobertura de chocolate.
Tão simples como a vontade de os comer ;))

Recheio de nata;
. 2 dl de nata  . 1+1/2 colher de sopa de queijo creme philadélphia  . 2 colhers de sopa de açúcar branco fino  . 1 colher de sopa de doce de cereja com cerejas inteiras  . 1 colher de sopa de rum

Bater as natas com o açúcar quase em ponto chantilly.
Acrescentar o queijo creme e envolver bem com a batedeira.
Adicionar o doce de cereja e o rum envolver bem .

Abrir a massa ao meio ou inserir um bico de pasteleiro e rechear a massa. Levar ao frio.

Enquanto isso preparar o chocolate da cobertura com;
. 2 dl de leite  . 1 dl de nata  . 1 colher de chá de manteiga  . 30 gr chocolate negro 70%  . 50gr chocolate de leite

Colocar um tacho ao lume com o leite e a nata e deixar levantar fervura. Retirar do lume e verter em cima do chocolate partido em pedaços e da manteiga até estar bem envolvido usar ainda quente. Se necessário levar mais um pouco a lume brando de modo a garantir que esteja bem envolvido.

Ainda quente é só verter ou mergulhar os profiteroles já recheados e servir.

Tarefa cumprida, ao pedido de metro e meio!
by me. 172055

massa de choux ou massa de fartos

A conversa começou eu gostava de fazer profiteroles, mãe!

Para isso é preciso começar por fazer uma das partes que os compõe neste caso a massa base, que serve para fazer doces como os eclairs, duchess ou outros salgados quando os recheios assim o ditam como creme de queijo ou salmão fumado ou outros que a imaginação e o gosto permitirem.

Para fazer este pequeno exército de fartos, e eu fiz metade da receita que aqui deixo, deu para 18 pequenos soldados que ao que parece vão ter um final doce.

para a massa :
. 150gr de farinha  . 2 dl de água  . 0,5dl de leite  . 90gr de manteiga sem sal  . 4 ovos  . 1 pitada de sal . 1 colher de chá de açúcar  . 1 colher pequena de fermento em pó

Num tacho levar ao lume a água, o leite, a manteiga o sal e o açúcar e deixar levantar fervura, verter a farinha onde se acrescentou o fermento em pó de uma vez só e mexer até obter uma bola ou seja a farinha cozer reduzindo o lume para que não se queime.

Retirar do tacho e colocar numa tigela deixar arrefecer um pouco.
Depois com ajuda de uma máquina de varas incorporar os ovos inteiros um a um, e acrescentar apenas o seguinte quando o anterior estiver completamente envolvido na massa.

Barrar uma forma com manteiga e polvilhar com farinha e com ajuda de um saco de pasteleiro, improvisado ou não fazer pequenos círculos de 2,5 cm de diâmetro ou menos conforme o que pretenderem, deixando alguma altura na massa.

Aquecer o forno a 200º e levar assar cerca de 15 minutos reduzir a temperatura e deixar dentro do forno mais 10 minutos e isto pode depender do forno, o objectivo é secar o interior da massa.

Deixar arrefecer depois é só rechear e cobrir ou não com o que se deseja, quer seja doce ou salgado.
Domingos cá de casa com a vontade de cozinhar de gente pequena ;)) 
by me. 171 622

bolo de amêndoa com fruta e natas

Ainda o sabor de verão feito em pleno inverno, coisas possíveis nos tempos de hoje!

Este bolo é o bolo de amêndoa sem farinha que já publiquei anteriormente e que me optei em vez de praliné de amêndoa e chantilly para recheio e cobertura substituí por frutas fresca e nata batida com pouco açúcar e queijo philadelphia, e assim se vão desmultiplicando receitas com experiências novas e esta resulta muito bem!

Como fiz:
. bolo de amêndoa fiz 1/2 receita apenas  (ver receita original aqui*)
 Bolo
. 175 gr miolo de amêndoa com casca, moída finamente o mais possível . 4 ovos médios. 125 gr de açúcar . 1/2 colher de sopa de pão ralado
Creme de nata
. nata fresca 2 dl  . queijo philadelphia 2 colheres de sopa . 2 colheres de sopa de açúcar fino ou em pó
. mirtilos . manga  . morangos foram as frutas que usei para recheio e cobertura deste pequeno bolo... pequeno, parece que se tornaram sempre cá por casa ;))

Começando pelo bolo, separam-se as gemas das claras para tigelas diferentes.
Batem-se muito bem as gemas com o açúcar até obter creme espumoso e esbranquiçado, de seguida acrescenta-se aos poucos o miolo de amêndoa e o pão ralado, reservando 4 colheres de sopa do miolo de amêndoa para acrescentar nas claras.
Levantam-se as claras em ponto castelo bem firme e adicionam-se as 4 colheres de sopa do miolo de amêndoa que se reservaram.
Envolvem-se as claras ao creme das gemas, suavemente, verte-se-se numa forma barrada e forrada a papel vegetal untado.
Vai ao forno baixo 170º previamente aquecido até estar cozida.

Para o preparado de nata, bate-se a nata com o açúcar quase a meio do processo acrescenta-se o queijo creme e continua-se a bater até obter um creme espesso.
O que este pormenor confere ao tradicional chantilly  é uma consistência mais sólida e dar-lhe leveza no sabor pelo pequeno toque salgado além de ser um óptimo veículo para absorver os sucos das frutas frescas sem empapar demasiado o bolo.

Depois do bolo bem frio abrir ao meio e rechear e cobrir a gosto com estas frutas e creme e levar ao frio antes de servir.

E foi assim que sabores de verão chegaram ao inverno nesta cozinha!
by me. 170 316

2014

UM BOM ANO
Começa um novo ano e a todos os que por aqui vão espreitando ideias que andam por volta da cozinha, desejo-vos um excelente 2014, que se concretizem muitos dos desejos os que se fazem com as badaladas com cada passa...e mais alguns que doze desejos às vezes podem não chegar ;)))
by me. 167 664

peito frango panado com parmesão e farinha de milho

Uma receita infantil, vulgarmente chamada de nuggets mas com alguma variações no panado pode bem ser transformada em pequenos amuses de bouche.

Para fazer estes pequenos panados bem crocantes, usei peitos de frango previamente cozidos  num caldo de legumes de compra onde adicionei cenoura, dente alho esmagado, alho francês 5cm e alguns temperos como o sal, pimenta, curcuma gengibre, cardomomo, cravinho e deixei cozer lentamente. Depois de cozido deixar arrefecer bem antes de preparar os panados, de preferência levo ao frio para ao corta a carne não se desfiar muito.
(por vezes uso caldo de pato, porque o tenho, enriquece mais o peito do frango em termos de sabor, mas o caldo de legumes ou outro cumprem a sua função)

Para panar uso uma mistura de texturas e sabores que incluem e aqui as quantidades dependem do gosto e do necessário dou a indicação por porção :
. farinha de milho fina 1 porção  . 1/2 porção de frainha de milho grossa  . 1/4 porção de pão ralado  . 1/4 porção de farinha normal  . ovo batido 1 ou mais
Sabores adicionados à farinha: 
. alho em pó 1/2 colher de chá  . pimentão vermelho doce 1 colher de chá  . pimenta da cayenna q.b.  . caril  1 colher de café  . sal fino q.b . mistura de pimenta moídas  q.b. . gengibre em pó q.b  . queijo parmesão ralado fino 2 colheres de sopa
Para fritar:
. óleo  . azeite  . 1dente de alho  . 1 folha de louro 

Depois nada de especial apenas o processo de panar e fritar.

Cortar os peitos de frango em fatias não muito finas cerca de 1 cm passar pelo ovo escorrer e passar pela mistura das farinhas.

Aquecer uma frigideira com uma mistura de óleo e azeite com cerca de metade da altura dos panados e juntar-lhe um dente de alho com a pele e 1 folha de louro.
Quando estiver à temperatura fritar dos dois lados retirar colocar sobre papel de cozinha para perder o excesso de gordura.

Simplesmente servido com um molho "barbacoa", é opção na minha mesa... e assim voam rapidamente numa qualquer refeição!

by me. 162 669

bolo floresta negra

Não é um bolo rápido... nem nada simples, mas o livro está cá por casa e o pedido para o fazer já anda no ar há muito tempo, por isso esta mãe pôs-se ao chocolate.

Mas é nesse trabalho que a complexa fusão de sabores e aromas fazem nascer um bolo fantástico. Claro que isto só é válido para todos aqueles que adorem chocolate e gostem de por em pratica receitas mais trabalhosas, o que me proponho fazer por vezes.

Este bolo é composto com 4 receitas ou passos;
. Bolo de cacau .  Mousse de chantilly com Kirsch  . xarope de cereja para embeber o bolo . Ganache de chocolate negro

Para o bolo de cacau;
. 4 ovos(2 inteiros +2 separados)  .75 gr de açúcar branco  . 30gr de açúcar amarelo  . 25gr de farinha  peneirada  . 20gr de cacau amargo peneirado

Numa taça deitar os 2 ovos inteiros e as duas gemas com o açúcar branco e bater bem.
Noutra taça levantar as claras em castelo bem firme e juntar o açúcar amarelo.
Envolver  no creme de ovos,  a farinha e o cacau peneirados aos poucos juntamente com as claras batidas.
Deitar numa forma redonda pequena, 16cm de diâmetro forrada com papel vegetal untado e polvilhado.
Levar a cozer a forno de 180º até estar cozido
(o que pode variar entre os 8 min a 15 min conforme a altura do bolo e o tipo forno)

Depois de cozido deixar arrefecer bem para cortar em 3 fatias ou 2 metades para ser recheado e posteriormente coberto.

Para a Mousse de chantilly com Kirsch;
.  2gr de folhas de gelatina transparente  . 1 vagem de baunilha  . 2dl de nata  15 gr de açúcar amarelo  . 1 copo de cerejas em calda  . 2 cl de kirsch
(Kirsch é uma espécie de brandy de cereja negra.
Como não o tinha, usei uma mistura de aguardente fim de século com concentrado de frutos silvestres, e utilizei uma compota de cerejas inteiras criando também o recheio do bolo com cerejas inteiras doces)

Demolhar as folhas de gelatina em água bem fria, juntar 2 cubos de gelo.
Num tacho pequeno aquecer 3 colheres de sopa das nata sem deixar ferver, é nesta nata que se  dissolve a gelatina já demolhada e deixa-se arrefecer antes de misturar no chantilly.
Abrir a vagem de baunilha ao meio e retirar as sementes.
Bater as natas com o açúcar e as sementes de baunilha em chantilly. Juntar o Kirsch  e a gelatina envolver bem e levar ao frio para adquirir consistência.

Para o xarope de cerejas;
. 300gr de cerejas em calda  . 4cl de Kirsch

Escorrer as cerejas reservando o líquido de conserva.
Juntar o Kirsch à calda  e temos o xarope de embeber.
Como já referi, não usei as cerejas em calda que se vendem em frasco ou lata.  Utilizei a compota de cerejas inteiras criando também o recheio do bolo com cerejas inteiras doces e a mistura de aguardente fim de século com concentrado de frutos silvestres que serviu de xarope de embeber o bolo.

Para montar o bolo depois de partido em 2 ou 3 fatias, no meu caso foram apenas 2 por não ser um bolo muito alto.
Embeber com a ajuda de um pincel a 1 fatia de bolo com xarope de cerejas.
Barrar com a mousse de chantilly e Kirsch.
Colocar as cerejas inteiras.
Repetir o processo para a 2ª camada.
Deitar a 3ª camada e embeber o bolo.
Levar ao frio.
Antes  de verter a ganache de chocolate.

Para a Ganache de chocolate negro;
. 135gr de chocolate negro 60%  . 15 cl de nata fresca

Esta é a última tarefa a executar e já depois de ter o bolo montado e bem consolidado, pelo menos 30 minutos de frio.
Derreter o chocolate partido em banho-maria.
Num tacho aquecer as natas sem deixar levantar muita fervura o que as faria talhar.
Verter as natas quentes em terços, sobre o chocolate derretido já fora do calor e bater energeticamente com ajuda de uma varas, a cada porção misturada obtendo assim um creme brilhante e elástico.
Se achar que tem tem algum grumo de nata, ou do chocolate passar a varinha mágica.
Deitar ainda um pouco quente sobre o bolo de modo a conseguir espalhar bem.

Deixar arrefecer e levar ao frio novamente antes de servir.

Pois foi preciso coragem para tantas etapas ainda por cima tentando recriar alguns dos elementos que a receita original indicava e não haviam na cozinha :)) mas fez-se e voou...

by me. from encyclopédie du chocolat . Frédéric Bau . École du Grand Chocolat Valrhona 157 187

creme branco

E pesquisando pelo universo virtual das outras cozinhas...da foto, fez-se o prato!

Um creme branco de batata cujo autor, chamou de vichyssoise, em polaco...coisas que o google traduz

A minha versão apenas sofreu de 3 pequenos acrescentos para colocar por cima e enfatizar o sabor do creme base, e usei a opção de caldo de frango e as opções foram:
. 1 colher de chá bacon frito
  1 colher de café de queijo parmesão ralado,
 . um pouco de tosta esfarelada
. além do cebolinho fresco por cima de cada prato de sopa


Para este creme branco :
. 2-3 alhos francês (cerca de 300 g só a parte branca) .1 cebola grande . 1 colher de sopa de manteiga 300 ml de caldo (de frango ou de legumes) . 2 batatas médias . 2 colheres de créme fraiche ou nata magra 22% máx . pitada de pimenta . cebolinho fresco . bacon frito na hora . queijo parmesão ralado q.b. . tosta esfarela ou croutons 

Derreta a manteiga numa panela e adicione alho francês picado e a cebola picada em cubos, tempere com pimenta e cozinhe em lume médio por 10-15 minutos.
Adicionar um pouco do caldo de legumes ou frango quente e as batatas em cubos, mexa e deixe cozinhar a sopa tapada por mais uns 25-30 minutos mais. 


Retire do lume, verta num copo de batidos junte a nata e misture bem até obter um creme bem aveludado. Recticificar os temperos, sal e pimenta se for necessário. 

Ao servir cada prato deve ser salpicado com cebolinha cortada.  

Foi vista e fotografada aqui onionchoco.blogspot. e modificada nesta cozinha! 

"a minha foto ficou esquecida!"
by me. and from onionchoco 149 928

abóbora manteiga assada com gengibre e tomilho

Quase me parecem gôndolas estas fatias de abóbora manteiga!

Estamos na época dos ocres, as cores quentes que contrastam com o tempo que vai ficando cinzento, assim resolvi começar o outono, e fiz esta abóbora manteiga assada em forno lento e em vez de transformar num creme/sopa, decidi assá-las para serem apenas uma pequena entrada ou um acompanhamento para carne ou peixe.
O resultado é sempre um sabor predominantemente doce que aqui equilibrei juntando os condimentos a meu gosto.

Assim, para estas "gôndolas" de abóbora usei;
. 1 abóbora manteiga ou cabaça pequena  . raspa de limão 1 colher de café  . gengibre fresco ralado 1-2 colher de sopa bem cheia  . tomilho fresco a gosto . sal marinho q.b. . mistura de pimentas moídas na hora + pimenta da caiena  . azeite q.b.  . 1 colher de chá de manteiga  . um pouco de água

Para começar, lavar a abóbora e cortar ao meio retirar as pevides e cortar em fatias não muito finas cada metade 3 a 4 fatias ao alto sem retirar a casca.

Colocar um pouco de azeite no fundo de um tabuleiro, com dimensão que não deixe muito espaço entre as fatias de abóbora, para que estas não sequem demasiado rápido.
Dispor as fatias no tabuleiro lado a lado e temperá-las com o sal, o gengibre fresco, casca de limão ralada, as folhas de tomilho, as pimentas verter um pouco de azeite por cima e a manteiga e pedaçinhos e por último colar um pouco de água no fundo do tabu

Levar ao forno pré-aquecido a 180º e deixar assar até estarem macias.
Servir quente, eu comi com queijo fresco e também com queijo ricota e fatias de fiambre uma pequena entrada.
Também já acompanharam um lombo de porco assado e também uns lombinhos de robalo.
grelhados, por isso,  fica a sugestão, entrada, acompanhamento ou prato vegetariano estas abóboras ficam deliciosas!

Tenham um bom fim de semana
by me.148933

mousse de maracujá com merengue italiano

Merengue italiano, isso dá muito trabalho e depois come-se tudo num instante..
Podia ser um argumento, que muitas vezes até ouço, ah isso dá muito trabalh...demora muito tempo...mas não há coisa boa que não dê algum trabalho!?!? 

Mas afinal o que é isto do merengue italiano!
Nada mais que claras batidas em castelo onde se envolve o açúcar num ponto(espadana-translúcido mas pastoso obtido  a 121º para quem tiver termómetro | ver pontos de açúcar aqui**|) qual a vantagem? a consistência que dá ás claras, tornando-as mais firmes sem deixar que deslacem, pela acumulação de algum líquido no fundo, o que acontece por vezes.

Mas para esta mousse usei;
merengue italiano: . 3 claras =95gr  . 180gr de açúcar  . 95ml de água
mousse maracujá .  300 gr de polpa de maracujá  . o merengue italiano  . 2 folhas de gelatina  . 2dl de nata

Demolham-se as folhas de gelatina em água bem fria.

Noutra taça batem-se as natas em chantilly sem açúcar (isto porque como usei polpa de maracujá em lata não precisei de mais açúcar) . De seguida envolve-se a polpa dos maracujás, e reserva-se.

Para o merengue, coloca-se ao lume a água e o açúcar até obter o ponto pretendido, retira-se do lume e acrescentam-se as folhas de gelatina espremidas.
Enquanto se faz o ponto de açúcar batem-se as claras em castelo bem firme de seguida junta-se  a pasta de açúcar quente com a gelatina,  batendo sempre de modo a ficar bem misturado.
Deixa-se arrefecer, antes de envolver na mistura de nata com a polpa que se reservou.

Colocar em taças e levar ao frio 2 horas.
Outra das opções é criar uma sobremesa gelada, para isso basta colocar a mistura no congelador, fica a sugestão.
E para decorar folha de hortelã e se tiverem um pouco de polpa de maracujás frescos.

E foi assim a última sobremesa do último fim de semana de verão, venha o Outono! ;))
by me. 147831

uma espécie de peach blossom marble cake

De volta à cozinha, e para recomeçar um bolo de iogurte marmoreado com cobertura glacé.

Depois de ver o desafio do Masterchef com a Merle Parrish de seu nome, uma verdadeira avó da culinária australiana ao que consta decidi tentar fazer algo semelhante.
A receita original está publicada aqui** pela própria que explica e demonstra passo a passo, para quem quiser fazer o bolo original.

Optei por fazer uma base de bolo de iogurte,  a receita da Leonor de Sousa Bastos  Flagrante delícia**
bolo base :
. 4 ovos  . 150gr de manteiga sem sal  . 270gr de açúcar  . 240gr de açúcar 1 colher de café de aroma de baunilha  . 250gr de iogurte grego natural
extra à receita original 
. corante alimentar vermelho ou rosa (preferível usar o gelatinoso em vez do líquido que altera um pouco as bases) diluído num pouco de iogurte para acrescentar a 1/3 da massa de bolo já pronta 

para a cobertura de glacé cor de pêssego rosado;
 .1+1/2 chávena de café de água quente  . 1 colher de chá de manteiga  . açúcar em pó q.b. conforme consistência desejada  . um pouco de corante vermelho que deve ser acrescentado diluído num pouco de água de modo a controlar o tom de cor que se quer.

Bater bem a manteiga à temperatura ambiente com o açúcar.
Adicionar o iogurte e as gemas e a baunilha.
Juntar a farinha. 
Bater as claras em castelo firme e envolver no preparado anterior.

Retirar cerca de 1/3 da massa do bolo e juntar aos poucos o corante até alcançar o tom pretendido.

Deitar a massa do bolo de modo a criar o efeito marmoreado pouco envolvido já que o tom é muito ténue e fica melhor se for feito em apenas duas camadas.

Levar ao forno aquecido a 160º até estar cozido o que demora cerca de 30-40 minutos.

Depois de cozido deixar arrefecer um pouco. 
Enquanto se espera faz-se o glacé que não é mais que a água aquecida com a manteiga e onde se vai deitando o açúcar em pó peneirado e o corante, como já referi deve estar diluído num pouco de água à parte de forma a controlar a cor à medida que se acrescenta na água para o glacé.
A consistência pretendida faz-se com a quantidade maior ou menor de açúcar acrescentado,  para mim foi de um creme espesso mas que desliza sobre o bolo sem escorregar demasiado.
Depois de feito é só verter sobre o bolo de modo uniforme e deixar cristalizar, aliás o que acontece rápidamente.

E assim se cruzam três cozinhas numa receita, a minha, a da Merle Parrrish e da Leonor de  Sousa Bastos. ;))

Um bom recomeço a todos  e bom apetite!
by me. and from around me 142090

como uma lagosta?

Não por apanhar muito sol, mas lá vou por as mãozinhas fora da cozinha...desta a bem dizer ;)
até, e boas férias a todos!
by me.141026

figos salteados, com presunto, ricota, mel e amêndoa

Deram-me uns figos mas ainda não estão suficientemente melados para serem saboreados, por isso nada como cozinha-los.
Os figos ao serem preparados com uns quantos pózinhos de pirlipimpim de qualquer cozinha, ganham outra dimensão mesmo quando ainda estão um pouco secos, como foi o meu caso.

O que é que eu fiz, uma entrada quente de figo com presunto e queijo.
Usei:
. 6 figos pequenos lavados e abertos ao meio  . mel de urze a gosto . manteiga q.b.  . 6 fatias finas de presunto  . queijo ricota  . amêndoas laminadas torradas  . um pouco de misturas de pimentas moídas na hora.

Colocar uma frigideira que não pegue ao lume e torrar ligeiramente a amêndoa, reservar.

Aquecer um pouco de manteiga e amolecer lentamente os figos, pelo que o lume deve estar brando. Colocam-se os figos primeiro do lado da pele para baixo e deita-se um pouco de mel no lado cortado, deixar um pouco ao lume antes de virar. Ao virar, se for necessário acrescentar mais manteiga e mel, fica ao gosto de cada um, assim como a consistência do próprio figo que deve ser mole mas não em papa.(digo eu)

De seguida, numa tira de presunto colocar ao centro uma colher de chá de ricota, por o figo por cima e acrescentar mais uma colher de ricota. Temperar com a pimenta e juntar as amêndoas torradas enrolar de modo a embrulhar todo o figo, deitar o próprio molho que fica na frigideira ou mesmo um pequeno fio de mel.
Servir ligeiramente quente, e asseguro para quem goste dos componentes desta entrada é um óptimo acompanhamento para um bom vinho e um início de jantar!

Bom fim de semana e bom apetite :))
by me. 139214

azeite de limão e outros aromas

Estou com os azeites... nada disso! Os azeites é que estão com outros...aromas!

Para criar as infusões de azeite aromatizadas, como as muitas que existem à venda onde um só aroma ou várias ervas e especiarias podem estar combinadas transformando agradavelmente este néctar de oliva.

Para tal basta, como neste exemplo de limão, raspar a casca de limão para uma taça e verter o azeite aquecido, quente mas não a ferver.
Depois de deixar arrefecer é só engarrafar novamente e como o azeite simples, proteger da luz e do calor, daí as garrafas serem escuras, et volilá está pronto a usar!

O exemplo, foi o limão, mas poderiam ser todas as ervas secas que lhes passe pela cabeça como tomilho, rosmaninho, oregãos, etc, e  especiarias como caril, gengibre em pó, cardomomo, também o alho desidratado, a cebola desidratada, piri-piri... e podia continuar que a lista seria  infinita.
by me. 136 902

feira do mirtilo - Sever do Vouga

Pois é já nos próximos dias 27, 28, 29 e 30 de Junho que vai decorrer a 6ª edição da Feira do Mirtilo em Sever do Vouga.
Para quem puder e estiver interessado em fazer aparecer terá inúmeras actividades conforme os dias consultar a página oficial para ver programa. *Aqui

Estivesse eu mais perto... ;))
by me. 132898

desafio cumprido!

Desafiaram-me, e eu aceitei! 

Jantar para 7, escolhe o menu e diz-me o que é preciso... podes cozinhar onde quiseres em casa ou no sítio onde tem de ser servido! 
Comecei em casa, acabei na cozinha de alguém, ficaram para servir depois das minhas instruções para empratamento; 

Trouxas de crepes com recheio de espargos brancos, camarão e 3 queijos, parmesão, emmental e ilha *.

Burras de porco preto com pleurotos e cogumelos chestnut estufado em vinho do porto .*  acompanhadas de tortellini 3 queijos e salada de alfaces e rúcula com maça verde ácida

Tiramissu  .*  para sobremesa! 

(tudo receitas já editadas na coZinha-cOm-alMa) 

Resultado, agradei a todos os comensais com esta ementa da minha cozinha, foi uma experiência muito positiva, com motivação para repetir em outras oportunidades... e obrigada pelo convite!
by me. 130 913

mousse de chocolate em creme de sabayon e nata

Pois foi isso mesmo, um mimo para o dia da criança em forma de chocolate...sim porque estas crianças cá de casa as de estatura grande e menor partilham o ADN que lhes corre no sangue e no gosto por chocolate...um padrão da nossa natureza ;))

Para estas pequenas taças, que foram 6 com cerca de 1 dl de mousse cada, usei:

. 3 ovos  . 2dl de nata  . 2 colheres de sopa de açúcar branco + 1 colher de chá de açúcar em pó . 100gr de chocolate negro a 70%  . framboesas q.b  . chocolate branco q.b.

Separar as gemas e as claras para taças diferentes.
Batem-se as gemas com o açúcar e duas colheres de sopa das natas até formarem uma gemada homogénea, leva-se a cozer em banho-maria mexendo sempre até espessar, criando assim o creme sabayon, retira-se do lume.
Entretanto derrete-se o chocolate no microondas, e adiciona-se ao creme das gemas, deixa-se arrefecer. Batem-se as claras em castelo bem firme, reserva-se.
Bate-se o restante da nata em chantilly com o açúcar em pó.
Por fim depois do creme sabayon arrefecido, misturam-se as natas e por último as claras batidas.
Despejar em taças e levar ao frio um par de horas, pelo menos

Antes de servir colocara as framboesas e um pouco de chocolate branco em lascas.

Feito, fresco e servido no dia da criançada, assim foi!
by me. 130218

feliz dia da criança...

...na cozinha também, claro! ;))
by me. 129 832

quadrados de manteiga de amendoim e chocolate

Hoje em dia a televisão tem mais horas de culinário do que todas aquelas que eu tive oportunidade de ver em 2 décadas, por isso técnicas culinárias, receitas produtos que não são nosso hábito começam a invadir as nossas ementas e a influenciar as gerações mais novas.

Em suma, esta cozinha não é excepção e depois de assistirem  a um programa de televisão da Lorraine Pascale - Lorraine´s Fast, Fresh and Easy Food a minha pequenada lá me pediu para fazer algo que não é comum fazer, usar manteiga de ameidoim para criar doces.

a receita  original aqui*
TRADUZINDO:
 . 200g manteiga sem sal  . 200gr chocolate escuro (pelo menos 60% de cacau) ou leite com chocolate (ou uma mistura de ambos)  . 250g bolachas digestivos   . 200g de açúcar amarelo   . 300g manteiga de amendoim crocante  . 1 colher de chá de extracto de baunilha

Triturar as bolachas digestivas em pó. 
Derreter a manteiga e juntar as bolachas trituradas juntamente com o açúcar amarelo e a manteiga de amendoim e o extracto de baunilha.
Forrar um tabuleiro pequeno com papel vegetal, espalhar a mistura e alisar com uma espátula.

Derreter o chocolate de leite ou mistura leite e negro, em banho-maria com um pouco de água cerca de 1/2 chávena de café, espalhar sobre o reparado anterior e levar ao frio até ganhar consistência.

Desenformar e cortar com uma faca aquecida de modo obter quadrados perfeitos.

Na receita cá de casa, usei metade da receita original como ponto de partida.
Optei por bolachas digestivas de aveia que acrescentei  80gr extra, usei apenas 90gr de açúcar amarelo anulei o extracto de baunilha apenas porque não o tinha. 
O chocolate para a cobertura que usei foi uma mistura 75% de leite 25% de preto.
E ao chocolate da cobertura já colocado sobre a base de bolacha acrescentei de chocolate branco derretido, foram 2 quadrados grandes derretidos com 1 colher de sopa de leite, deitar aos poucos e misturar de modo a ter um efeito marmoreado.

As coisas que a minha pequenada me pede para fazer! ;)
by me. 124 191

dia da mãe

Talvez por a minha mãe não gostar nada de cozinhar, e o seu tempo também lhe escassear quando eu era mais pequena, me tenha "empurrado" para este mundo de tachos e panelas onde os ingredientes com a alquimia do gosto e paladares criam um universo de satisfações que adoro/amos partilhar, porque quem cozinha partilha, não o faz  para e só, para si mesmo,  por isto tudo e por este dia da mãe eu cozinhei um miminho doce que lhe levei, entregue com um beijinho e um grande xi-coração, mãe é mãe e eu gosto muito da minha!
by me. 123 822

brownies de chocolate's'

Dentro do armário tinha, esquecidas, 2 caixas de chocolatinhos para café, 200gr de chocolate de leite 58% e 200gr de chocolate  preto 70%...

Muito chocolate, mesmo para a comer de repente e como estava no armário fico sempre com a sensação que fica impregnado com sabor a madeira apesar de estarem perfeitamente fechados, coisas que o chocolate ou o aparador fazem! Mas estavam óptimos.

Lá decidi cozinhar uma perfeita gulodice.
Primeiro que tudo, toca a despir estes quadradinhos todos ,com a ajuda de um par de mãos ou melhor 2 pares extra que descobriram no que estava a mexer e assim lá saíram dois quadrado do baralho para a barriguinha de alguém ;))

Estes quadrados desacertaram o peso total usado, 400gr - 4 quadrados! mas não teve qualquer implicação no sabor final.
Usei para um tabuleiro 37x25x3cm;
. 200gr de chocolate de leite 58%  . 200gr de chocolate preto 70% . 1,5 dl de leite  . 1 colher de chá de manteiga com sal  . 5 ovos  . 7+2 colheres de açúcar branco  . 2 colheres de açúcar amarelo  . 1+1/2 iogurte simples. 1 maçã reineta descascada e ralada  . 2 colheres de sopa de gérmen de trigo  . 5 colheres de sopa de farinha com fermento  . 1 colher de café de fermento em pó  . 1 colher de chá de bicabornato de sódio  . 1 pitada de sal   . bagas de goji  3 colheres de sopa bem cheias  . 25 gr de chocolate branco partido em pedaços pequenos
(sugestão, acrescentar à massa 2 colheres de sopa de mel, isto porque este chocolate tem mel na sua composição que se nota bem quando é aquecido, e no resultado final, um opção claro)

Aquecer o forno a 180ºC.

Começa-se por derreter o chocolate com o leite e a manteiga no microondas e deixa-se arrefecer um pouco, até utilizar.

Separam-se as gemas das claras para taças diferentes.

Batem-se as claras em castelo com as 2 colheres de açúcar branco e reservam-se.

Noutra taça batem-se as gemas com o restante açúcar branco e o amarelo até obter uma mistura cremosa. Acrescentam-se os iogurtes e mexe-se bem.
À mistura anterior junta-se o chocolate derretido e arrefecidoe envolve-se bem, de seguida acrescenta-se a maçã que já foi ralada, é provável que esteja oxidada, mas isso não lhe altera o sabor do bolo.
(esta maçã serve apenas  para conferir uma consistência gumosa, sem utilizar manteigas ou óleos alimentares caracteristicamente usados neste tipo de receitas, coisa que tendo e tento evitar.)

Depois da maçã, acrescentar a farinha com fermento, o gérmen de trigo, o bicabornato, o sal e misturar bem.
Finalmente misturar no ao preparado parte, cerca de metade, das bagas de goji.

Envolver as claras em castelo bem firme que se reservaram, com cuidado.

Untar e polvilhar o tabuleiro ou forma rectangular e verter a massa.

Colocar por cima as restantes bagas pressionar ligeiramente para que não fiquem demasiado à superfície pois secariam e por fim os pequenos pedaços de chocolate branco
(pode ser usado outro tipo de leite ou culinária, que além de  decorativo,por contraste de cor à massa e serve para sentirmos estes pequenos pedaços de chocolate, em jeito de surpresa a cada dentada.)

Levar ao forno até ficar cozido o suficiente.
Esperar que arrefeça antes de desenformar ou partir em quadrados dentro da forma e servir partidos, foi o que fiz.

Estes brownies sózinhos, com gelado, com nata, com frutos vermelhos ou com qualquer outra coisa ficam bem.

E claro, perfeitos para acompanhar um café expresso!  ou um  Nespresso ...whatelse!
by me. 120059

substítuir natas por...

Muitas das receitas que nos chegam tem na sua composição natas, por vezes é quase automática a substituição por farinhas ou amido para espessar os molhos, o mais tradicional que sempre se usou na culinária tradicional. 
Outra das hipótese que aprendi, é usar a água de cozer batatas,  que pelo facto de ficar rica em amido faz o mesmo que adicionar farinha mas de modo mais moderado.

Quando as soluções anteriores não se adequam por ser necessário enriquecer os molhos ou cremes de modo mais consistente e cremoso, em vez de nata gorda ou de créme fraïche utilizo o creme de aveia (o que prefiro) ou de soja, ambos substituem perfeitamente as natas mas para o meu palato o creme de soja acrescenta-lhe o seu sabor enquanto o creme de aveia se torna mais próximo do acrescentar nata sem criar aquele sabor característico da soja, talvez seja apenas uma pieguice ou esquisitice minha!
by me. 118692

bolo rápido de amêndoa

A amêndoa é a rainha da Páscoa assim a meias com o chocolate, e para não falhar lá criei este bolo fôfo e muito rápido de fazer.

Para um bolo pequeno, uma forma rectangular 26x20x5cm usei;

. 4 ovos   . 7 colheres de sopa de açúcar  branco +1 para as claras  . 90gr de miolo de amêndoa sem pele moída o mais fino possível (eu uso o moinho de café para moer)   . 2 colheres de sopa de iogurte natural grego   . 1 colher de sopa de pão ralado  . 1 colher de sopa  de farinha com fermento + um pouco para polvilhar o papel vegetal .  aroma de baunilha 1/2 colher de café  . 40gr miolo de amêndoa em lascas para colocar por cima   . açúcar em pó para polvilhar q.b.  . manteiga para untar a forma

Aquecer o forno a 180º.
Forrar a forma com papel vegetal untado e polvilhado, caso seja preciso já que no mercado existem alguns que dispensam esta tarefa.

Separar as gemas das claras para duas tigelas distintas. 
Bater as claras em castelo e acrescentar quase no fim a colher de sopa de açúcar, reservar.

Noutra taça bater as gemas com o açúcar até obter um creme homogéneo e cremoso. 
Adicionar o iogurte grego e o aroma de baunilha, e continuar a bater. 
Acrescentar ao creme de ovo o miolo de  amêndoa, com a farinha e o pão ralado e misturar bem.
Por fim, envolver as claras batidas com cuidado.
Verter na forma forrada, espalhar as lâminas de amêndoa o mais uniforme possível e polvilhar com ajuda de um passador de rede fina e em abundância o açúcar em pó.

Levar ao forno até estar cozido.
Deixar arrefecer antes de retirar da forma e do papel.

Foram as amêndoas na nossa mesa de Páscoa, servidas com gelado de baunilha e framboesas frescas!


Oh la la, c'est bon ça!
by me. 117475

crème brulée receita rápida

Um simples e delicioso Creme Brulée... irresistível! 

Uma receita rápida porque há mais coisas para fazer :))

Creme brulée (para 8 doses): 
. 8 gemas  . 120 g de açúcar   . 1/2 litro de leite um pouco aquecido   . 4dl de nata (2 pacotes)  . extracto de baunilha (ou uma vagem)   . açúcar mascavado  q.b para polvilhar e queimar

Pré-aquecer o forno a 200 graus 

Bater as gemas e o açúcar com batedeira de varas, até obter um creme homogéneo. 
Acrescentar a nata, o leite e extracto de baunilha de acordo com o seu gosto (cerca de 4 tampinhas) ou utilizar uma vagem de baunilha retirar retirar as sementes e aquecer num pouco de leite de modo a emulsionar. 

Levar ao forno por 25 minutos em banho-maria e verificar se está cozido, no fim do tempo, devem ter centro compacto, mas flexível. 
Num forno eléctrico, cozinhar no meio do forno a 200°C (termostato 6-7) 

Deixar arrefecer bem, até ficar frio, polvilhar com o açúcar mascavado e queimar, com ferro quente ou maçarico. 

bon appétit
by me.115252

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin